domingo, 20 de Março de 2011

Despedida de um grande Amor

Venho falar e homenagear quem eu amei por mais de um ano e ainda hoje continuo a amar como nunca serei capaz de explicar.
Corre-me a tristeza nas veias do amor, que outrora partilhávamos, esperando que algum dia sejamos amigos depois daquilo que passamos. E aquele vento que persiste em trazer o teu perfume e as tuas lembranças não parte, não foge, não morre e o sofrimento vem e vai com ele. As mãos ficaram vazias de motivação e o que restava de nós foi deixado fortemente no meu coração como aquele fogo que tu bem conheces, a característica predominante na nossa relação. E como de uma anomalia se tratasse, tento fugir de ti de maneira a que não sofra mas vivo no dilema de ainda te amar e precisar da tua amizade e conforto, junto a mim. Alguém que me conhece e que tem tanto de mim dentro dela, alguém que me ama como amiga e que no fundo do seu coração me quer por perto. E ignorante será aquele que se lembrar das pessoas que ama, de forma melancólica e triste apesar de às vezes parecer humanamente impossível de cumprir tal tarefa. Mas a felicidade cobre tudo e todos, nem que seja por uma ínfima parte ou sentimento, ela acaba por aparecer e nos fazer lembrar de um bom momento.
E de todo este tempo, guardo em mim todas as nossas vivências que me fazem chorar neste preciso momento, estas lágrimas que não são de sofrimento mas de saudade. E esta espera, que não tem fim, leva-me à loucura de não te puder mais ter, de saber que agora, nestes dias, estarás longe de mim, longe com outras pessoas e, talvez, com outro alguém, que me substitua. Mergulho, assim, na angústia de imaginar com quem estás, a quem ofereces o teu lindo sorriso e a tua maravilhosa companhia. Os dias morrem facilmente, quando nem uma palavra tua sou capaz de ouvir ou um toque teu, capaz de sentir. E invisível passo despercebido ao sentimento que já demonstraste por mim. Este amor que foi vivido pelos mais sublimes sentimentos, que tocou as nossas almas marcando-as desde sempre como cúmplices.
E a ausência leva-te para longe, como um castigo, onde eu não posso vencer a dor da saudade. E escrevo noite dentro tentado encontrar palavras que demonstrem que sem ti não há lua ou pôr-do-sol. Sem ti não haverá aquele beijo caloroso de amor e amizade, onde os meus braços te envolviam contra o meu peito e me imploravas para nunca te deixar.
E constantemente sinto-te na minha memória e até chego a sentir-me reconfortado pelo teu toque mas, rapidamente, despido no silêncio, vejo que lá não estás e que a escuridão é tudo o que me resta e consome o meu olhar no crepúsculo que brilha pelos estores do meu quarto.
Nunca te pedirei que voltes para mim, apenas te digo que o meu coração é teu todos os dias da tua vida. Conta comigo em todos os teus momentos de sofrimento ou tristeza e espero que algum dia percebas que eu sempre te quis bem.
Este texto, bem como este amor, para além de pertencer ao passado, pertencem e pertencerão sempre a uma única pessoa que sempre soube cuidar de mim melhor que o próprio céu.

3 comentários:

  1. Sem duvida um texto diferente dos que já fizeste. Mas continuas a expressar bem e claramente o que sentes.
    Agora, haverão outras oportunidades... conheceras mais pessoas... e ultrapassaras isto. Talvez não completamente mas haverá sempre pelo menos uma pessoa ao teu lado pronto para te ajudar em qualquer circunstância.
    Estarei sempre a teu lado.
    Um grande abraço amigaço. xD

    ResponderEliminar
  2. Que coisa mais linda...uma declaração de amor que nota-se vem do fundo do teu ser. E fico triste em saber que amores assim se perdem no tempo. Não sei a natureza da separação, mas uma mulher se soubesse de um amor tão forte, tão sincero e tão infinitamente puro , creio que seria a mulher mais feliz do mundo.

    ResponderEliminar
  3. Um verdadeiro poeta, nas palavras e sentimentos

    ResponderEliminar